header image

Ecologias de Projeto: métodos e processos

PROF. DR. BRUNO MASSARA ROCHA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO
UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (PPGAU/UFES).

Atualizado em 18/09/2019

Ementa:

"Estudo de métodos e processos projetuais contemporâneos a partir de um enfoque que leva em consideração a crescente e irreversível informatização e compartilhamento do conhecimento, além da prioridade por ações de caráter ambiental. Análise dos conceitos de rede, complexidade, cooperação, interdependência, reutilização de espaços e objetos, do-it-yourself, sustentabilidade."

 

Objetivo Geral:

O objetivo geral desta disciplina é oferecer aos arquitetos um conjunto de conceitos, referências e exemplos do que consideramos ser uma tendência atual do pensamento projetual: a combinação entre a crescente complexidade dos problemas de projeto, a urgência em enfrentar questões ecológicas e sustentáveis, e a necessidade de utilização de técnicas digitais em todas as etapas do projeto como instrumento de análise e tomada de decisão. A combinação destes três fatores traz desafios grandes relacionados tanto aos métodos de projeto, ou seja, ao modo como é organizado e produzido o conhecimento projetual, quanto aos processos de projeto, isto é, os recursos tecnológicos que os arquitetos utilizam para dar visualidade às suas idéias. Propomos aqui uma disciplina que irá tirar os arquitetos da zona de conforto e desafiá-los a pensar, propor, criticar, refletir em como melhorar nossos ambientes de vida, nosso entorno, nossas construções, oferecendo também espaço para a produção de pequenos experimentos práticos utilizando softwares paramétricos e impressoras 3D.

Objetivos Específicos:

>> Ampliar o entendimento sobre o conceito de sustentabilidade a partir do estudo mais aprofundado do conceito de ecologia, incluindo uma análise avançada tanto dos sistemas naturais quanto os sistemas artificiais;

>> Situar o conceito de ecologia no âmbito dos estudos de complexidade; expor a importância cada vez maior da complexidade para o pensamento projetual, discutindo as inúmeras alterações estruturais que ela vem trazendo aos paradigmas da arquitetura; dentre elas, a consciência emergente por um pensamento projetual mais flexível e experimental que reconhece os limites do pensamento clássico disciplinar e busca novos meios de interagir e evoluir;

>> Fazer entender que com a cibernética e os sistemas interativos atuais o campo de relações sociais e de produção de conhecimentos encontra-se exponencialmente ampliado e com enormes possibilidades para amplificar o potencial criativo e o desenvolvimento de idéias na arquitetura, no urbanismo, no design e na arte;

>> Ampliar o entendimento do conceito de ecologia a partir de uma abordagem que avança sobre o tradicional “estudo da relação entre seres vivos e ambiente natural” e abarca o que pode ser chamado de ecologias cognitivas. A ecologias cognitiva envolve todo um conjunto de relações criativas colocadas em funcionamento pelas plataformas digitais;

>> Discutir a importância do conceito de cibernética para o entendimento da ecologia. Demonstrar que ser ecológico é ter a capacidade de interagir continuamente, se adaptar ao meio físico ou informacional, reprogramar os parâmetros iniciais e evoluir; entender que esta condição de flexibilidade pode estar presente tanto nos processos de projeto quanto nos objetos projetados;

>> Oferecer condições para a produção de projetos e protótipos experimentais utilizando recursos projetuais paramétricos e equipamentos de fabricação digital como forma de territorializar as idéias em objetos físicos impressos em 3D.

Metodologia:

O conteúdo da disciplina será ministrado inicialmente a partir de aulas expositivas seguidas de discussões e debates sobre os principais temas abordados. Haverá ainda uma sequência de seminários expositivos nos quais os alunos farão a exposição e discussão dos livros sugeridos na bibliografia da disciplina. Ao final da disciplina é realizado um workshop prático para o reconhecimento de máquinas de impressão em 3D de forma a oferecer um ambiente propício para pequenas experimentações práticas complementares ao estudo teórico. O objetivo do workshop é incentivar a reflexão-em-ação no contexto dos recursos de fabricação digital.

Avaliação:

. Avaliação do desempenho dos estudantes na realização dos seminários tendo como critérios: domínio do conteúdo, método de apresentação e posicionamento crítico. Valor: 40 pontos
. Apresentação de um Relatório Final em formatação pré-definida contendo as análises individuais acerca dos temas abordados ao longo das aulas e dos protótipos desenvolvidos no Workshop realizado no Laboratório Conexão VIX. Valor: 60 pontos

Cronograma:

AULA 01: [ 14/03/19 ] - Aula Inaugural: "Cidade > Metrópole > Metápole" - Prof. Dr. Milton Esteves Junior (PPGAU/UFES)

 

AULA 02: [ 21/03/19 ] - Ecologias de Projeto - Conceitos Norteadores
Assunto:
. Apresentação do site #Rede e do Programa da Disciplina
. Introdução ao conceito de ecologia, seus usos e interpretações: ecologias naturais, ecologias da mente (Bateson), ecologias cognitivas (Lévy, Leão), ecologias de mídias (Santaella), ecologias artificiais (Speaks), ecologias de objetos e de informação (Vassão), ecosofia (Guattari).
Bibliografia:
. GUATTARI, Felix. As três ecologias. São Paulo, Papirus, 2012.
. SPEAKS, M. Inteligência de Projeto. In: SYKES, K. (Ed.). O campo ampliado da arquitetura: antologia teórica 1993-2009. São Paulo: Cosac Naify, 2002. p. 156-164.
. Vídeo: Uma ecologia da mente - o pensamento de Gregory Bateson
. online ISSUU: Veja aqui os slides da aula


AULA 03: [ 28/03/19 ] - Arquitetura Sustentável x Architecture Durable: abordagem crítica da sustentabilidade
Assunto:
. A sustentabilidade hoje: uma análise comparativa a partir da "arquitetura durável (architecture durable)".
Bibliografia:
. ROCHA, B. M. Arquitetura Durável nas Metrópoles: uma abordagem crítica da sustentabilidade nos projetos urbanos. Anais do ELECS 2011, Vitória, 2011. Disponível aqui
. GAUZIN-MULLER, Dominique. Arquitetura Ecológica. São Paulo: Editora SENAC São Paulo, 2011
. online ISSUU: Veja aqui os slides da aula


AULA 04: [ 04/04/19 ] - O conceito de biomimética e seu uso na arquitetura
Assunto:
. Biomimética: princípios fundamentais para a apropriação das formas naturais na arquitetura
. Sólidos celulares: uso e aplicação de materiais complexos e suas propriedades
. online ISSUU: Veja aqui os slides da aula


AULA 05: [ 11/04/19 ] - Novos olhares e desafios na epistemologia projetual
Assunto:
. Complexidade e os desafios de se trabalhar com a incerteza;
. Um olhar improvisacional orientado ao projeto;
. As demandas por: adaptação, programação, hibridação.  
Bibliografia:
. ROCHA, B. M. Novos olhares e desafios na epistemologia projetual. Revista Pós. V.23, N.39, São Paulo, FAU/USP, Junho de 2016. Disponível aqui
. ROCHA, Bruno Massara. Complexidade e improvisação em arquitetura. 2015. Tese (Doutorado em Design e Arquitetura) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível aqui
. online ISSUU: Veja aqui os slides da aula

AULA 06: [ 18/04/19 ] - Aula adiada pra dia 04/07/2019

AULA 07: [ 25/04/19 ] - Do It Yourself e Improviso: por uma outra epistemologia da projetação
Assunto:
. Uma visão ampliada da improvisação no campo da arte e sua importância para o pensamento contemporâneo
. Abertura, compartilhamento e hibridismo nas obras artísticas
. Reflexão-em-Ação: uma metodologia para o improviso
Bibiografia
:
. ROCHA, B. M. Do it yourself e improviso: por uma outra epistemologia da projetação. V!RUS, São Carlos, n. 10, 2015. [online] Disponível aqui
. online ISSUU: Veja aqui os slides da aula

AULA 08: [ 02/05/19 ] - Seminário 1 – Apresentação e Discussão
. TEXTO SUGERIDO: Regaldo, Fernanda; Marquez, Renata; Andrés, Roberto; Cançado, Wellington (ed.) Revista PISEAGRAMA. Extinção. Número 08, setembro, 2015

AULA 09: [ 09/05/19 ]- Os Estudos de Complexidade e a Prática Criativa Contemporânea - Parte I
Assunto:
. Entendendo a Complexidade (I)
. Caminhos da Complexidade na História da Arquitetura (II)
. Modos de Agir – táticas, processos e atributos (III)
Bibiografia:
. MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2011.
VENTURI, R. Complexidade e contradição em arquitetura. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
LÉVY, P. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Loyola, 1994.
. online ISSUU: Veja aqui os slides da aula

- Os Estudos de Complexidade e a Prática Criativa Contemporânea - Parte II
Assunto:
. Modos de pensar – uma inteligência para a complexidade (IV)
. A pesquisa-ação no contexto acadêmico (V)
Bibiografia:
. MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2011.
VENTURI, R. Complexidade e contradição em arquitetura. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
LÉVY, P. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Loyola, 1994.
. online ISSUU: Veja aqui os slides da aula

AULA 10: [ 16/05/19 ] - Seminário 2 – Apresentação e Discussão
. TEXTO SUGERIDO: Regaldo, Fernanda; Marquez, Renata; Andrés, Roberto; Cançado, Wellington (ed.) Revista PISEAGRAMA. Descarte. Número 05, 2013.

AULA 11: [ 23/05/19 ] - SEMINÁRIO MASTER: Open Design
Convidado: Camilo Lima
Assunto:
. Definições e conceitos pertinentes no entendimento do Open Design;
. Análise do potencial do compartilhamento de informações na prática projetual contemporânea;
. Impactos na economia, na distribuição e democratização do conhecimento.
. Conceitos e abordagens existentes acerca do tema Cidades Inteligentes / Smart Cities
. Diferentes fases e exemplos das Cidades Inteligentes no mundo
Bibiografia:
. Veja aqui a apresentação do Open Design e aqui a das Cidades Inteligentes
. Site para consulta: OpenDesignNow
. CABEZA, Edison Uriel Rodriguez.; MOURA, Mônica. "Open Design: Abertura + Design = Prática Projetual Para a Transformação Social", p. 2719-2730 . In: Anais do 11º Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design [= Blucher Design Proceedings, v. 1, n. 4]. São Paulo: Blucher, 2014.
. NEVES, Heloisa; ROSSI, Dorival. Open Design – uma experiência aberta e colaborativa para o ensino de design. In: Ensaios em Design: Arte, Ciência e Tecnologia. Bauru, Canal 6, 2010.
. RIZZON, Fernanda et sl. Smart City: um conceito em construção. Revista Metropolitana de Sustentabilidade, v. 7, n. 3, p. 123-142, set. 2017. Disponível em: <http://revistaseletronicas.fmu.br/index.php/rms/article/view/1378>. Acesso em: 19 abr. 2018
. REDE BRASILEIRA DE CIDADES INTELIGENTES E HUMANAS. BRasil 2030: cidades inteligentes e humanas. 2016. Disponível em: <http://redebrasileira.org/arquivos/Brasil_2030_CIH.pdf>. Acesso em: 8 maio 2018.

AULA 12: [ 30/05/19 ] - Aula de Introdução ao Workshop
. Aula Prática no Laboratório Conexão VIX / Departamento de Arquitetura e Urbanismo
. Apresentação do Programa do Workshop. Ver Aqui
. Apresentação das interfaces Rhino/Grasshopper e máquinas de fabricação digital (impressão 3D e corte a laser);

 

AULA 13: [ 06/06/19 ] - Seminário 3 – Apresentação e Discussão
. TEXTO SUGERIDO: Regaldo, Fernanda; Marquez, Renata; Andrés, Roberto; Cançado, Wellington (ed.) Revista PISEAGRAMA. Cultivo. Número 06, 2013.

AULA 14: [ 13/06/19 ] - Workshop
Aula Prática no Laboratório Conexão VIX / Departamento de Arquitetura e Urbanismo
. Assunto: Ecologias de projeto: métodos, processos e soluções para a cultura e os espaços contemporâneos.
. Fundamentação Teórica: conceitos, técnicas e abordagens do pensamento paramétrico, open-design e cidades inteligentes;
. Discussãotemática e Brainstorming;
. 1o ciclo de reflexão-em-ação;

AULA 15: [ 28/06/19 ] - Workshop
Aula Prática no Laboratório Conexão VIX / Departamento de Arquitetura e Urbanismo
. Assunto: Ecologias de projeto: métodos, processos e soluções para a cultura e os espaços contemporâneos.
. 2o ciclo de reflexão-em-ação;

AULA 16: [ 04/07/19 ] - Workshop
Aula Prática no Laboratório ConexãoVIX / Departamento de Arquitetura e Urbanismo
. Assunto: Ecologias de projeto: métodos, processos e soluções para a cultura e os espaços contemporâneos.
. 3o ciclo de reflexão-em-ação;
. Apresentação e discussão dos resultados;


Bibliografia:

* novas aquisições

. AGKATHIDIS, Asterios. Generative Design. London: Laurence Kings, 2015.
. AGKATHIDIS, Asterios. Computational architecture: digital designing tools and manufacturing
techniques
. London: Laurence Kings, 2014.

. ALLEN, S. Condições de campo. In: SYKES, K. A. (Ed.). O campo ampliado da arquitetura: Antologia teórica 1993-2009. São Paulo: Cosac Naify, 2013. p. 242-25
. BROWNELL, Blaine; SWACKHAMER. Hyper-natural: architecture's new relationship with nature.
New York: Princeton University Press, 2015.

. BOURRIAUD, N. A estética relacional. São Paulo: Martins Fontes, 2009a.
. BOURRIAUD, N. Pós-produção: como a arte reprograma o mundo contemporâneo. São Paulo: Martins Fontes, 2009b.
. CARDOSO, Rafael. Design para um mundo complexo. São Paulo: Ubu Editora, 2016.
. COSTA, C. Z. Além das Formas: introdução ao pensamento contemporâneo no design, nas artes e na arquitetura. São Paulo: Annablume, 2010.
CORBELLA, Oscar; YANNAS, Simos. Em busca de uma arquitetura sustentável para os trópicos: conforto ambiental. Rio de Janeiro: Revan, 2003.
. EYCHENNE, F.; NEVES, H. Fab Lab: A Vanguarda da Nova Revolução Industrial. São Paulo: Fab Lab Brasil, 2013.
. FITZGERALD, Eileen. ENERGY RESEARCH GROUP DEL UNIVERSITY COLLEGE DUBLIN. Un vitruvio ecológico: principios y práctica del proyecto arquitectónico sostenible. Barcelona [Espanha]: Gustavo Gili, 2007. 159 p.
. FONSECA, F. Gambiologia: a criatividade que nos faz humanos. In: PAULINO, F. (Ed.). Gambiologia - gambiarras nos tempos do digital. Catálogo da exposição. Belo Horizonte, 2010. p. 22-23.
. FLUSSER, V. O mundo codificado: por uma filosofia do design e da comunicação. São Paulo: Cosac Naify, 2007.
. GAUZIN-MULLER, Dominique. Arquitetura ecológica. São Paulo: Ed. Senac São Paulo, 2011.
. GUATTARI, Felix. As três ecologias. São Paulo, Papirus, 20xx.
. LEITE, Carlos; AWAD, Juliana di Cesare Marques. Cidades sustentáveis, cidades inteligentes: desenvolvimento sustentável num planeta urbano . Porto Alegre, RS: Bookman, 2012.
. LÉVY, P. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. São Paulo: Loyola, 1994.
. LÉVY, P. As Tecnologias da Inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993.
. LYNN, G. Curvilinearidade arquitetônica: O dobrado, o maleável e o flexível. In: SYKES, K. (Ed.). O Campo Ampliado da Arquitetura: Antologia Teórica 1993-2009. São Paulo: Cosac Naify, 2013. p. 27-51.
. MATURANA, H. Cognição, Ciência e Vida Cotidiana. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2001.
. MINGUET, J. M. (ed.) Bio architecture. Barcelona: Instituto Monsa de Ediciones, 2014.
. MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2011.
. MORIN, E.; MOIGNE, J. L. A inteligência da complexidade. São Paulo: Peirópolis, 2000.
. MUNUERA, I. L. Notas sobre el 'bum': los colectivos españoles, un ecosistema plural. Arquitectura Viva - Colectivos españoles, n. 145, p. 15-19, 2012.
. NEGRI Antonio. Biocapitalismo: entre Spinoza e a construção política do presente. São Paulo: Iluminuras,
2015.

. PARENTE, A. Enredando o pensamento: redes de transformação e subjetividade. In: PARENTE, A. (Org.). Tramas da rede: novas dimensões filosóficas, estéticas e políticas da comunicação. Porto Alegre: Sulina, 2010. p. 91-110.
. PASSARO, A; ROHDE, C; SANT'ANNA, J; BASILE, L.; VIANNA,M;, ESTRADA, R. Abrigos senisíveis: experimentações em
arquiteturas responsivas e fabricação digital
. Rio de Janeiro: PS17 Pirnting Solutions & Internet, 2017.

. ROCHA, B. M. Do it yourself e improviso: por uma outra epistemologia da projetação: uma análise do processo de improvisação a partir do método de reflexão-em-ação. V!RUS, São Carlos, n. 10, 2015. [online] Disponível em: <http://www.nomads.usp.br/virus/virus10/?sec=4&item=2&lang=pt>.
. ROCHA, Bruno Massara. Complexidade e improvisação em arquitetura. 2015. Tese (Doutorado em Design e Arquitetura) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/16/16134/tde-08032016-152801/>
. ROSA, M. L. (Org.). Micro Planejamento. Práticas urbanas criativas. São Paulo: Ed. de Cultura, 2011.
. SACOMANO, J; GONÇALVES, R; SILVA, M; BONILLA, S; SÁTYRO, W. Indústria 4.0: conceitos e fundamentos. São Paulo:
Blucher, 2018.

. SPEAKS, M. Inteligência de Projeto. In: SYKES, K. (Ed.). O campo ampliado da arquitetura: antologia teórica 1993-2009. São Paulo: Cosac Naify, 2002. p. 156-164.
. VENTURI, R. Complexidade e contradição em arquitetura. São Paulo: Martins Fontes, 2004.




 


 

 

Projetos recentes

Model Girl 1

Sistemas responsivos para produção de energia

Model Girl 2

O Corpo como interface sensível ao ambiente urbano

Model Girl 3

Equipar para ocupar - um projeto experimental para a ativação de espaços públicos

Model Girl 4

CHIP - Centro Híbrido de Integração Popular

Model Girl 5

Prototipagem Digital Paramétrica orientada ao Design Emergencial

Model Girl 6

Leitura Ótica da Arquitetura

Model Girl 7

Arquitecturas Colectivas: a construção participativa do espaço urbano e arquitetônico

Model Girl 8

Projeto 08

1 2 3 4 Next